Loading...

Um Verdadeiro Paraíso Perdido no Atlântico

"...POR ISSO EU SOU DAS ILHAS DE BRUMA ONDE AS GAIVOTAS VÃO BEIJAR A TERRA..."

Seguidores - PRESENÇA NECESSÁRIA PARA CAMINHAR...

PRESENTES DE AMIGAS

PRESENTES DE AMIGAS
SELINHO DA DINDA PARA MIM

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

PRIMEIRO ANIVERSÁRIO DO GABRIEL , FILHO DA VANESSA

PRIMEIRO ANIVERSÁRIO DO GABRIEL

22 DE MAIO DE 2004.

FESTA NAS ESTRELAS


Os convidados foram chegando. Aparentemente formaram ilhas. Pareciam distantes, mas  havia entre todos uma ponte mágica. Laços tênues, mansos, verdadeiros, constantes. Docemente  começou a formar-se uma ciranda de corações em volta de um olhar deslumbrado. Êxtase completo que só a inocência possibilita. Todos acabaram se envolvendo neste clima.
O tempo de cada um zerou porque havia uma nova era se iniciando.
Foram momentos mágicos aqueles ocorridos no dia  do teu primeiro aniversário de existência, meu querido Gabriel, meu fiel anjo mensageiro. Teus primeiros 365 dias neste  promissor planeta azul.
Valente menino, elegante anfitrião, presença marcante até o último instante da linda festa que teve o mais espetacular “gran finale”: para quê apagar uma velinha se era tão mais divertido roubar com a ponta do dedinho um pedaço de nuvem doce que cobria o delicioso bolo de aniversário...
O que nos encantou  não foi visível a olho nu. Havia algo que só o amor podia perceber.
O que nos encantava era a desenvoltura da bailarina que cruzava aquele lindo palco com a graça de uma menina e a desenvoltura da mulher-mãe.
O que nos encantou foram os momentos de emoção do pai, das avós, dos avôs, dos tios e tias esbanjando ternura e entusiasmo.
O que nos encantou, meu querido Gabriel, foi o momento em que, na brincadeira da cama elástica, com tantos primos pulando, foi ver você  ensaiando o grande feito que nos faz dignos de receber o título de humanos: ser capaz do equilíbrio perfeito, semelhante àquele que todos vamos experimentar na inevitável corda bamba da existência.
Depois de tantos feitos, depois de tanta alegria, o merecido soninho no colo da vó Ana. Quadro para não se esquecer jamais, arquivado para sempre no meu coração; “Ana e seu menino”, tela majestosa, obra natural de tantos anjos pintores.
Gabriel: Foi uma noite de tanta luz, de tanta revelação, percebida com toda a certeza por todos os corações que ali estavam.
No final, uma doce paz, foi cobrindo lentamente a noite de 22 de maio, do ano da graça de 2004.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SALVAÇÃO

SALVAÇÃO
SURSUNM CORDA! (erguei os corações ao alto)