Loading...

Um Verdadeiro Paraíso Perdido no Atlântico

"...POR ISSO EU SOU DAS ILHAS DE BRUMA ONDE AS GAIVOTAS VÃO BEIJAR A TERRA..."

Seguidores - PRESENÇA NECESSÁRIA PARA CAMINHAR...

PRESENTES DE AMIGAS

PRESENTES DE AMIGAS
SELINHO DA DINDA PARA MIM

domingo, 9 de janeiro de 2011

RECORDAÇÕES

RECORDAÇÕES




(Sala de aula. Colônia dos Pescadores. Agosto de 87.
Técnica de produção do texto poético; trabalhar a carga poética dos substantivo concreto. Sugestão da professora Gina, irmã da Maria Assunção Grinet, professora também e que professora!)



Eram doces as tardes mornas da infância. Meus olhos viam gotas de prata no botão vermelho.
A gaivota que cortava o azul era minha ave cósmica.
A noite jogava em cima de mim um manto de sonhos.
E tudo era grande e livre e belo.

Depois o mundo secou.
Meu velho jardim sem roseiras.

Minha alma hoje é um campo de pombas mortas.
Agosto-1987








Nenhum comentário:

Postar um comentário

SALVAÇÃO

SALVAÇÃO
SURSUNM CORDA! (erguei os corações ao alto)